Rentboy Acompanhantes masculinos foi fechado

Site de Acompanhantes Masculinos nos EUA, foi acusado de incentivo à prostituição? Saiba quanto à legalidade dos sites de Acompanhantes.

Nesta última terça feira, dia 26 de Agosto de 2015, agentes federais nos EUA em Manhattan (New York, EUA) apreenderam diversos equipamentos informáticos do popular site de encontros para Acompanhantes Gay Rentboy.com, acusando o seu CEO e pelo menos mais 6 outras pessoas de incentivos às práticas de prostituição e lenocínio no âmbito da legislação interestadual nos EUA, argumentando que tais práticas violam leis de alguns outros estados norte-americanos. (saber mais sobre o acontecimento)

No momento o site Rentboy está offline, aparentemente por ordem judicial, e portanto os nossos leitores não poderão ver de que site e plataforma se trata. Contudo por forma a que possamos opinar quanto aos factos apontados pela justiça dos EUA que fundamentam o instaurar de um processo crime contra este site e para que possamos esclarecer os internautas quanto à legalidade em geral dos sites de promoção e divulgação de serviços de Acompanhantes de Luxo, iremos fazer uma breve resenha histórica do projecto de encontros Gay e Acompanhantes Masculinos Rentboy.

Fundado em 1997 e sempre activo até ao dia de ontem, o Rentboy.com alojava um script de encontros (vulgar dating tipo Match ou o tão polémico Ashley Madison) onde através do qual membros, do sexo masculino e com preferências homossexuais à procura de serviços de sexo massagens ou companhia, podiam contactar com outros membros masculinos que providenciavam esse tipo de serviços a troco de dinheiro, estes vulgarmente conhecidos como Acompanhantes de Luxo Masculinos.

Os visitantes chegavam ao Rentboy.com e eram incentivados a registarem-se, criando uma conta de cliente e pagando uma mensalidade automaticamente renovável, para que pudessem assim contactar através de email, chat ou telefone os diversos acompanhantes masculinos que por lá andavam a fazer a promoção dos seus serviços profissionais.

O site cobrava aos clientes que andavam à procura de acompanhantes, valores na ordem dos 39Usd a 59Usd /mensais consoante as funcionalidades disponibilizadas e cobrava também aos Acompanhantes Gay Masculinos valores entre os 89usd e os 289usd /mensais, também estes valores variáveis consoante a importância, destaque e funcionalidades atribuídas no Rentboy.com .

Segundo consta, o negócio era extremamente lucrativo tendo nos últimos anos somado rendimentos superiores a 10 milhões de dólares. O negócio sempre prosperou desde o inicio do projecto, sendo que foi somente nos últimos anos que o negócio passou a ser realmente multimilionário, assim que muitos leitores de classificados de convivio da tradicional imprensa escrita passaram a migrar em catadupa para o acesso a este mesmo tipo de serviços disponibilizados na internet e smartphones.O site era um exemplo de sucesso e notoriedade, sendo que a quantidade de visitantes andava na ordem dos 500 mil únicos diários.

Video do anúncio da prisão do CEO do Rentboy

Apesar de o Rentboy sempre ter mencionado nos seus termos de serviço que os membros estavam proibidos de oferecer ou fazer publicidade a serviços de sexo pago, o que é facto é que toda a gente sabia o tipo de encontros e negócios que por lá se faziam e assim continuou por muitos bons anos, infelizmente até ao dia de ontem.

Algumas questões estarão agora a assolar as cabeças dos nossos caros leitores, tal como inicialmente assolaram as cabeças de alguns CEO de empresas especializadas na área dos classificados de convívio.
-> “mas então os sites de promoção de classificados de convívio e listagem de acompanhantes de luxo são afinal proibidos?”,
-> “Existem tantos sites do género, porque razão o Rentboy.com está acusado de práticas ilegais?”,
-> “E os Jornais de classificados adultos um pouco por todo o mundo, são também considerados ilegais?”

Por forma a tranquilizarmos alguns dos colegas que trabalham na área de promoção, publicidade e divulgação de serviços de acompanhantes, vimos desta forma peremptoriamente afirmar que a resposta é “NÃO” a qualquer uma destas interrogações acima citadas, pelo menos segundo a análise de vários advogados e juristas consultados.

Acompanhantes Masculinos e Sites de Escorts, a sua legalidade.

3 simples factos diferenciam o Rentboy de um qualquer projecto de divulgação de acompanhantes, tipo o site Escortera.com:

1) O Rentboy.com solicitava pagamento via cartão de crédito, Bitpay e outros métodos de pagamento a todos os seus membros para estes poderem aceder e contactar com os Acompanhantes de Luxo Masculinos que também pagavam para lá poderem anunciar os seus serviços, logo o Rentboy.com estava directamente e juridicamente a intermediar uma relação de negociação entre um comprador e um vendedor para serviços considerados proibidos no estado de Nova Iorque (existem outros estados nos EUA onde tal é permitido, mas não em Nova Iorque), independentemente de recolher ou não comissão nas tarifas dos encontros reais.

2) O Rentboy.com além de fazer anunciar os telefones de cada Acompanhante para que os membros pudessem telefonar-lhes de forma independente, tal como acontece com um qualquer normal classificado de convivio num jornal, disponibilizava também ferramentas de contacto online tipo email interno, chat e messenger para que os membros (cliente e prostituto) pudessem articular a negociação de encontros de sexo pagos e ilegais.
Todas essas comunicações eram operadas directamente pela plataforma do Rentboy, não eram encriptadas, passavam e eram guardadas como histórico nos servidores e datacenters do Rentboy e portanto a empresa não só sabia do tipo de práticas criminosas que estavam a ser negociadas, como também sabia dos valores envolvidos, como também fornecia as ferramentas e era conivente com a prática de crimes.

3) O Rentboy.com tornava claro que os encontros seriam serviços pagos de índole sexual e não meros serviços de aluguer de companhia baseados em aluguer de tempo. Prova disso são as conversas de chat arquivadas por aquele serviço e os concursos mensais e anuais para o prostituto mais bem sucedido, com galardões com nomenclaturas bem interessantes, tipo “o melhor sexo oral”, “o melhor traseiro” ou o “sexo mais seguro”.

Como é sabido, os normais jornais de classificados de convívio espalhados um pouco por todo esse mundo fora e os normais sites online de classificados ou de divulgação de serviços de acompanhantes tipo Escortera.com, não possuem nenhum dos 3 factos acima apontados.

Estes são simples prestadores de serviços de divulgação e promoção de Acompanhantes profissionais, sobre os quais esses serviços não se responsabilizam pela tipologia ou qualidade dos serviços prestados pelos profissionais independentes e sobre os quais esses serviços não medeiam qualquer transacção comercial através de mecanismos de comunicação entre as partes.

São pura publicidade a serviços de companhia baseados em aluguer de tempo, serviços esses acordados entre 2 indivíduos juridicamente independentes, maiores de idade, não coagidos e cientes dos seus direitos e deveres.

Infelizmente para o CEO e colaboradores do Rentboy.com a lucidez de se informarem de antemão acerca das regras da jurisdição em que operavam chegou tarde demais e agora enfrentam e estão indiciados da prática destes temíveis crimes, podendo enfrentar até 5 anos de prisão e multas na ordem dos 250.000 dolares americanos.

Escortera Portugal – Acompanhantes e Escorts
Visite www.escortera.com

Site de Acompanhantes Masculinos nos EUA, foi acusado de incentivo à prostituição? Saiba quanto à legalidade dos sites de Acompanhantes. was last modified: Dezembro 7th, 2016 by escortera

2 pensamentos em “Site de Acompanhantes Masculinos nos EUA, foi acusado de incentivo à prostituição? Saiba quanto à legalidade dos sites de Acompanhantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *